Volume
Rádio Offline
Redes
Sociais
Caritas Líbano, um ano da explosão em Beirute: crise econômica ainda é dramática
30/07/2021 19:52 em Novidades

Um ano após a explosão no porto de Beirute em 4 de agosto de 2020, a situação econômica ainda é dramática no País dos Cedros. Segundo relatório do Unicef, afirma a Caritas Líbano, "30% das famílias com ao menos um filho salta uma refeição diária e 77% declara não ter comida suficiente". Além disso, "80% das escolas católicas correm o risco de fechar devido à falta de ajuda governamental. Os refugiados e toda a população libanesa continuam sofrendo com a prossecução da guerra civil na Síria" 

Vatican News 

"Em 4 de agosto do ano passado tudo mudou para sempre no Líbano. O coração de cada libanês foi destruído. A explosão veio num momento crítico, entre o coronavírus e uma crise sóciopolítica e econômica sem precedentes." 

Foi o que disse esta quinta-feira (29/07) a assessora de estratégia internacional da Caritas Líbano, Rita Rhayem, falando em um webinar organizado pela Caritas internacional, um ano após a explosão no porto de Beirute em 4 de agosto de 2020. 

Desde o início, a atuação da Caritas na linha de frente 

Rhayem tem atuado nessa situação de emergência desde o início. "Muitos hospitais foram destruídos e os doentes tiveram que ser transferidos", lembra a assessora. "Nós também os tratamos, estávamos na linha de frente ajudando as pessoas necessitadas, organizamos encontros." 

“As casas ficaram destruídas e silenciosas, mas nas ruas havia muita gente ajudando com a distribuição de alimentos. Muitas pessoas se ofereceram como voluntárias; levamos ajuda de porta em porta aos idosos que tinham medo de sair de suas casas e não comiam há três dias.” 

A Caritas Líbano tem unidades móveis de saúde para diagnóstico e tratamento, equipes de psicólogos e equipes de engenheiros trabalhando na reconstrução das 300 mil casas que foram destruídas. 

"77% das famílias não têm alimentos suficientes" 

LEIA TAMBÉM 

Inserindo imagem... 

01/07/2021 

Um ano depois, a Caritas renovou pelo menos 1.700 delas e milhares estão quase concluídas.  2 mil estabelecimentos comerciais também receberam apoio no sentido de serem ajudados a voltar às suas atividades. 

Mas a situação econômica ainda é dramática: "Segundo um relatório do Unicef (Fundo das Nações Unidas para a Infância)", disse Rhayem, "30% das famílias com ao menos um filho salta uma refeição diária e 77% declara não ter comida suficiente". A taxa de inflação é superior a 40%, os salários foram todos depreciados". 

Situação de emergência também no campo da saúde 

Há também uma emergência no campo da saúde: "Os casos de Covid-19 estão aumentando, mas há falta de equipamentos e medicamentos; a eletricidade é racionada e os hospitais têm que desligar o ar condicionado apesar das temperaturas muito altas. Muitos trabalhadores da saúde emigraram para buscar melhores oportunidades no exterior". 

Além disso, "80% das escolas católicas correm o risco de fechar devido à falta de ajuda governamental. Os refugiados e toda a população libanesa continuam sofrendo com a prossecução da guerra civil na Síria". 

Fonte: https://www.vaticannews.va/pt/mundo/news/2021-07/caritas-libano-um-ano-explosao-beirute-crise-economica-dramatica.html 

COMENTÁRIOS